domingo, 16 de agosto de 2015

FLORES DO AMOR



FLORES DO AMOR




Sai de cena o frio, entra a primavera.

O sol num riso límpido não tardou

a dar vida e colorido à esfera.

A terra é tatuada de luz e cor.




Na planície azul dos corações

uma nuvem branca se derrama

sobre os rubros botões das emoções,

cingindo de brilhos a densa rama.




Pássaros com asas de serenidade

galgam o mais alto da imensidade

e os desejos de amor vão se elevando.



Nos negros olhos da amplidão, subindo,

raios de luz que a terra vai vestindo,

e a flor do amor no peito fecundando.

Renata Cordeiro