quinta-feira, 29 de outubro de 2009

O TEMPO NÃO PÁRA



O TEMPO NÃO PÁRA


Cazuza
Disparo contra o sol


Sou forte sou por acaso


Minha metralhadora cheia de mágoas


Eu sou um cara


Cansado de correr


Na direção contrária


Sem pódio de chegada ou beijo de namorada


Eu sou mais um cara


Mas se você achar


Que eu tô derrotado


Saiba que ainda estão rolando os dados


Porque o tempo o tempo não pára


Dias sim dias não


Eu vou sobrevivendo sem um arranhão


Da caridade de quem me detesta


A tua piscina tá cheia de ratos


Tuas idéias não correspondem aos fatos


O tempo não pára


Eu vejo o futuro repetir o passado


Eu vejo um museu de grandes novidades


O tempo não pára


Não pára não não pára


Eu não tenho data pra comemorar


Às vezes os meus dias são de par em par


Procurando uma agulha num palheiro


Nas noites de frio é melhor nem nascer


Nas de calor se escolhe: é matar ou morrer


E assim nos tornamos brasileiros


Te chamam de ladrão de bicha maconheiro


Transformam o país inteiro num puteiro


Pois assim se ganha mais dinheiro


A tua piscina tá cheia de ratos


Tuas idéias não correspondem aos fatos


O tempo não pára


Eu vejo o futuro repetir o passado


Eu vejo um museu de grandes novidades


O tempo não pára


Não pára não não pára


Dias sim dias não


Eu vou sobrevivendo sem um arranhão


Da caridade de quem me detesta


A tua piscina tá cheia de ratos


Tuas idéias não correspondem aos fatos


O tempo não pára


Eu vejo o futuro repetir o passado


Eu vejo um museu de grandes novidades


O tempo não pára


Não pára não não pára


6 comentários:

Daniel Costa disse...

Renata

Cazuza foi realmente um génio da música. Admiro, mas creio que foi a primeira vez que lhe vi referências em blog.
Sabias que os Correios do Brasil, há uns anos o homenageram, dedicando-lhe um belo selo.
Tinha-o, numa interessante colecção do Brasil.
O Olho de Boi, o segundo selo do mundo a ser impresso, depois do Penny Black, nunca tive, mas tinha vários "Olhos de Cabra"!
Com o AVC, de que não pensei recuperaria de todo, desfiz-me de tudo. Engraçado, fiz muita terapia a explicar à neta, tal como ela então era incapaz de os alinhar.
Agora, ambos somos filatelistas.
Ela ufana-se da colecção que lhe arranjei e quando vem, procura se tenho mais reservados.
Beijos,
Daniel

MR disse...

Cazuza...adoro a musica. Já a pessoa, é complicado. Controvérsias. Traficante de drogas para uns, poeta para outros.

Não sou Juiz. Só gosto da música.

Beijos

Ana Martins disse...

O tempo não pára mesmo... Adorei!

Beijinhos,
Ana Martins

HSLO disse...

Renata,

Essa é uma da músicas que mais gosto do meu irmão Cazuza - isso, tenho Cazuza como irmão. Meu primeiro contato com ele foi aos 09
anos...aos 14 anos já tinha todos os cds deles. Sou apaixonado por ele...não sou pela sua música,mas pela sua forma de ver o mundo.
O Tempo Não Pára...É bem minha cara...na verdade eu sou um cara. Eu sobrevivi a tudo e a todos que sempre quiseram destruir com minha pessoa.


"Eu vejo o futuro repetir o passado
Eu vejo um museu de grandes novidades"

Abraços

Hugo

Graça disse...

O tempo não pára [e por vezes não chega]... sempre gostei de Cazuza.



Beijo grande, querida amiga

Layara disse...

...oi linda Menina!

...excelente escolha, amo Cazuza, amo suas posias, amo sua irreverencia, a passagem desses Seres é sempre tão breve, eles tem a ansia pela Vida que pulsa, acelerada, nada lhes bastava...deixam um legado lindo de letras que pulsam vida...amei!

bjos de Luz!