quarta-feira, 18 de novembro de 2009

ÀS FLORES INTERROMPIDAS


ÀS FLORES INTERROMPIDAS

Ó Flor interrompida Flor da Vida

Salpicada do sangue multicores

Ouve atende esta súplica prece

Permeia de pacíficos odores

O campo onde se dá acirrada luta

Bruta inglória justa ou injusta

Na mente deste povo refloresce

O mesmo que impediu teu crescimento

Implanta aqui o teu renascimento

Tu que permaneceste germinante

A lâmina em ti não foi fulminante

Fora banhada na água de um amor

Abundante extenso e tão profundo

O maior amor que há nos vastos mundos

Que de tanto te amar e prantear

Murchou ao sol após a tua poda

Era rubra brilhante esplendorosa

A rosa cujo pranto generoso

Fecundou o chão árido rochoso

Agora honra tão honroso choro

Verte o mais amoroso e fértil pranto

Para que do solo irrompa com encanto

A Beleza esquecida e prometida

Às flores hoje ainda interrompidas


18 comentários:

Lídia Amorim disse...

beautiful ;-P

kiss!

Vieira Calado disse...

Amiga!

Chegou uma encomenda vinda do Brasil!

Depois lhe mando mail.

Beijinhosss

Daniel Costa disse...

Renata

Um poema bonito na sua forma, mas o meu pensamento não pode deixar de ficar meditativo. Espero que entendas porque fico por aqui.
Beijos
Daniel

Estela disse...

Oi minha querida,
Lindo poema... lindo e comovente. Palavras ditas pelo coração.
Bjs.

Graça disse...

Emocionei-me, querida amiga, com estas palavras tão sentidas! Há momentos em que não cabem meros comentários. Saio, querida Renata, e levo-a no meu coração.


Beijo imenso de carinho.

Vivian disse...

...quantas flores poderiam
enfeitar, perfumar os caminhos
desta estrada onde todos temos
que passar,
mas tornam-se vítimas de um
mundo insano?

sorry, linda.

viajei por aqui!!

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Muitas poderiam enfeitar o Mundo! A "Rosa de Hiroxima" as Rosas das Filipinas papoulas jasmins cravos verdes vermelhos coloridos amores perfeitos imperfeitos camélias bromélias miosótis flores silvestres.................
Por mundo em que haja lugar para velhas novas múltiplas flores!
Renata

Andre Martin disse...

Uma luta é sempre uma justa, ainda que injusta.

Fulminante é o raio,
a lâmina cortante interrompe a lâmpada,
a lágrima esgrima apaixonante entre o triste e o feliz.

Interrompida mesmo é a flor oferecida como flerte,
agora ausente de seu jardim,
berço onde brotou, e onde jamais murchará (lá).

Marta disse...

Um grito de esperança expresso nas flores....
Lindo, Renata e o video está perfeito...
Beijos e abraços
Marta

Tatiana disse...

Renata...
Seu poema nos leva a uma profunda reflexão!

Saudade daqui!

Beijos com meu carinho

Paula Dunguel(S.Lopes^^')- Alguém que respeita e ama as artes e culturas em geral. disse...

Meu blog Tristão e Isolda não fechou, só tá meio parado porque ainda estou escrevendo a história e não tenho ainda uma quantidade boa de textos pra postar. Mas não deixe de prestigiar e quanto a visitar meus outros blogs, será um prazer. Sobre o fato de você ser uma das estrelas, vc já é uma estrela da constelação dos amigos do meu humilde blog e faz tempo.

Nilson Barcelli disse...

Belíssimas palavras querida amiga, carregadas de emoção e sentimento.
Gostei imenso deste seu post.
Beijos.

Luciana disse...

Oi Rê tudo bem contigo?


Belissima postagem amiga algo sensivel e mágico.

Bjs

Bandys disse...

Rê,

lindo, sensivel, profundo!

Minha alma tem o peso da luz. Tem o peso da música. Tem o peso da palavra nunca dita, prestes quem sabe a ser dita. Tem o peso de uma lembrança. Tem o peso de uma saudade. Tem o peso de um olhar. Pesa como pesa uma ausência. E a lágrima que não se chorou. Tem o imaterial peso da solidão no meio de outros.
(Clarice Lispector)


Beijos no ♥
Mandei email

neide disse...

Renata querida me emocionei com as belas flores e o lamento nas palavras.

Boa quinta-feira.

Bjsss

Everson Russo disse...

Lindo poema, linda reflexão, tenho percebido que voce está numa fase mais profunda, mais reflexiva, menos colorida, espero que esteja bem, que esteja sorrindo, que seu coração esteja livre e sua alma serena,,,desejo a voce todo o bem do mundo, que seu arco iris tenha todas as cores possiveis...beijos na alma.

Layara disse...

...Renata, guria Linda!

...a flor que germinou entre lagrimas na rocha, deve ser a mais bela flor...

poesia Linda!


beijo de Luz!

[estou tendo dificuldade para acessar teu blogue, as vezes não completa a pagina...mas vou sempre tentando e quando dá deixo comentários...]

Bandys disse...

Querida Rê,

Pode deixar, não vou me tostar. Volto pra postar teus versos e alegrar!

Disse a flor, que balançava envolvida pela brisa calma
É minha amiga e anseio de minh’alma
Teu carinho faz-me formosa e nada me aborrece,
Espalhas o meu perfume, quando o dia amanhece.

Disse a brisa, a sua flor encantada.
Tu és como sonhei, bela e perfumada,
Quero-te agora e para sempre, flor amada
Porque tu és flor e eu sou a brisa,
Que no mesmo universo fazemos morada


Beijos