domingo, 8 de novembro de 2009

TRANQÜILA



TRANQÜILA


Anjo fada incandescente

Nas sendas da floresta

Imperceptivelmente

Sossegada sedosa

Pouso tranqüila

Escuto me recosto

À sombra frondosa

Macia delicada

De uma árvore

Suave se diria

Que é de mármore

Estendo as mãos

E os passarinhos

Pousam-me nas palmas

Permanecem no coração

Não me ouso mexer

Nada se compara

A aprender a libertar

A alma aprisionada

Perder pelo tempo

Ao vento a andança

Destrançar a trança

Sem deixar endereço

A paga pelo apreço

Que não tem preço

Voar vogar viajar

Voltar

Recomeçar



14 comentários:

Luciana disse...

Oi Rê que linda postagem junto com as imagens que ficaram ótimas.

Bjs e ótimo domingo

Blue disse...

Tranquilidade vista nas palavras do lindo poema.
Parabéns.
Todos os dias são dias de recomeçar.

Beijos e boa semana.

Thomas Albuquerque disse...

Muito obrigado Renata...Fico contente pelas suas visitas no "Apreciando".Sempre que se sentir tocada, aprecie-o.

beijos.

Vivian disse...

...post tranquilo como toda
alma deve ser.

imagens maravilhosas que
tem tudo a calhar com
as palavras.

deixo beijos procê!

Daniel Costa disse...

Renata

Exactamente, uma fada não tem preço, um poema com bonitas palavras trá-la sempre encantada. Assim ela jamais se esquecerá da nossa alma, do quanto a evocamos, do quanto amamos a vida.
Beijinhos
Daniel

Val Du disse...

Oi, Renata.

Belas palavras.

Uma ótima semana para você.
Que você tenha boas inspirações.

Beijos.

Everson Russo disse...

Menina linda que habita meu coração, eu fico sempre mais leve, mais sereno depois que leio seu blog, é muito gostoso esse seu mundo de sonhos, de paz, gosto desse tranquilidade, obrigado pelo seu carinho e pela sua amizade, seja muito, muito feliz, uma linda semana e muitos beijos na alma.

Marta disse...

Tranquila a atravessar o tempo...
Um poema maravilhoso e imagens, como sempre perfeitas...
Adorei...
Beijos e abraços
Marta

Bandys disse...

Linda postagem,

Paz!

É o que precisamos!

As imagens estão maravilhosas.
Uma semana de muita paz pra você.

Beijos

Ava disse...

Renata, querida, estou aqui a pensar:

Como libertar uma alma aprisionada... Ao ler seu poema, é como se a gente fosse levitando... a paz que vai irradiando das palavras ~vai nos inebriando...
Mas o burburinho do escritorio, tudo a minha volta, me traz de volta a realidade... e a uma alma que parece presa a cabos de aço...

Beijos e linda semana para voce!


Como libertar uma alma aprisionada... Ao ler seu poema, é como se a gente fosse levitando... a paz que vai irradiando das palavras ~vai nos inebriando...

Mas é um momentos...segundos

Rosemari disse...

Oi Renata

quanto tempo , já estava sentindo sua falta querida. Um lindo poema de tranquilidade onde fadas e anjos repousam em sobras frondosas. Um paraíso.

beijos

marcelo dalla disse...

Olá querida, sempre inspirada!
É isso, recomeçar sempre... somos recriados a cada milésimo de segundo. O que somos agora é diferente do que éramos de manhã, quando acordamos.
Que sejamos co-criadores de um futuro de Luz, cada vez mais Luz!!!

bjos

Gui disse...

Que lindo espaço este que aqui tens. Virei frequentemente.

neide disse...

Renata minha querida também estou feliz por ter sua amizade. Deveria ter vindo aqui a muito mais tempo, adorei te conhecer. Suas postagem são lindas, nos prende a atenção e nos faz sonhar.. É muito bom te ler.

Estou levando seu Award pra casa, ok?

Amiga, tenha uma moite adoravel, viu?

Bjssss