quarta-feira, 28 de julho de 2010

A VIDA ENSINA, E COMO******************




A VIDA ENSINA, E COMO******************



Se você pensa que sabe; que a vida lhe mostre o quanto não sabe.
Se você é muito simpático mas leva meia hora para concluir seu pensamento; que a vida lhe ensine que explica melhor o seu problema, aquele que começa pelo fim.
Se você faz exames demais; que a vida lhe ensine que doença é como esposa ciumenta: se procurar demais, acaba achando. Se você pensa que os outros é que sempre são isso ou aquilo; que a vida lhe ensine a olhar mais para você mesmo.
Se você pensa que viver é horizontal, unitário, definido, monobloco; que a vida lhe ensine a aceitar o conflito como condição lúdica da existência.Tanto mais lúdica quanto mais complexa.
Tanto mais complexa quanto mais consciente.Tanto mais consciente quanto mais difícil.
Tanto mais difícil quanto mais grandiosa. Se você pensa que disponibilidade com paz não é felicidade; que a vida lhe ensine a aproveitar os raros momentos em que ela (a paz) surge.
Que a vida ensine a cada menino a seguir o cristal que leva dentro, sua bússola existencial não revelada, sua percepção não verbalizável das coisas, sua capacidade de prosseguir com o que lhe é peculiar e próprio, por mais que pareçam úteis e eficazes as coisas que a ele, no fundo, não soam como tais, embora façam aparente sentido e se apresentem tão sedutoras quanto enganosas. Que a vida nos ensine, a todos, a nunca dizer as verdades na hora da raiva.
Que desta aproveitemos apenas a forma direta e lúcida pela qual as verdades se nos revelam por seu intermédio; mas para dizê-las depois. Que a vida ensine que tão ou mais difícil do que ter razão, é saber tê-la. Que aquele garoto que não come, coma.
Que aquele que mata, não mate. Que aquela timidez do pobre passe.
Que a moça esforçada se forme. Que o jovem jovie.
Que o velho velhe. Que a moça moce. Que a luz luza. Que a paz paze.
Que o som soe. Que a mãe manhe. Que o pai paie. Que o sol sole. Que o filho filhe. Que a árvore arvore.
Que o ninho aninhe. Que o mar mare. Que a cor core. Que o abraço abrace. Que o perdão perdoe.
Que tudo vire verbo e verbe. Verde. Como a esperança. Pois, do jeito que o mundo vai, dá vontade de apagar e começar tudo de novo. A vida é substantiva, nós é que somos adjetivos.

Artur da Távola*
***
é pra quem aprecia, de novo, ou pra quem exspia.

26 comentários:

cristal de uma mulher disse...

Um texto onde tu ensina que não vale a pena tastas curvas. O melhor é encarar a realidade com força e sempre. adorei.

Beijos

Fernanda disse...

Amiga Renata!

Este texto não podia ser mais actual, mais urgente a sua leitura, mais necessário do que o próprio pão.

Acabei de ler comentário no Sempre Jovens ao meu post, trabalho da amiga Vanuza.
Obrigada amiga pela insurjeição vigorosa.
Precisamos de muitas Renatas, muitas Vanuzas e de GENTE que seja GENTE de verdade.

Morro de vergonha por viver neste Mundo Cruel, Horrendo!!!

Beijos

Nilson Barcelli disse...

Um excelente texto.
Fizeste uma bela escolha, querida amiga. A começar pela foto...
Beijos.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Ná: Não tenho vergonha de viver neste Mundo. Porque este Mundo somos nós que o fazemos. Então, que o refaçamos. É fácil inculpar os nossos *representantes*. Mas quem os escolhe? Nós!
Não tenho objeção com vc, querida, aqui ninguém tritura, nem massacra ninguém, em nenhum post. Preste no que lê.
Quanto ao Nilson, ele já tem esta foto há muito e a Cristal é um doce.
E se não agüentam, respirem fundo e me engulam ou comam. Por daqui eu não saio mesmo!!!
Inveja corrói, viu? Seus loucos*

Renata Maria Parreira Cordeiro

Daniel Costa disse...

Renata

Sem dúvida a poema pode ensinar-nos muitas coisas, muito modos de encarar a vida, visto que ela não esgota, apenas numas simples palavras que, teremos tendência a adoptar. Vale a pena ler Artur da Távola.
Beijos

Jortas disse...

Re,
Fiquei feliz por ter voltado.
Tinha saudade dos vales profundos dos teus postes, do perfume intenso dos teus pensamentos, do aroma dourado de teus textos.
Fiquei feliz e meu riso se alargou em gargalhada de satisfação.
Bjs e força!

SuNshyne disse...

Olá!
Nossa esse texto é lindo!
Eu me emocionei ao le-lo!
Com certeza ele é um dos meus preferidos apartir de agora!
Seu blog é lindo!
Ja tenho ela na minha lista ha um tempão

HSLO disse...

A vida ensina e muito...eu aprendo mais ainda com meus erros.

abraços

Hugo

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Hugo, há quanto tempo!
Todos nós aprendemos com os nossos erros, independentemente da idade. No entanto, poucos são os que o reconhecem. Ah, se todos assim fossem, o mundo seria bem melhor, não é? Vir a um blogue, ler, pensar e comentar sem maiores pretensões, ou pretensões maiores.
Beijos, meu amigo e o meu respeito imenso. Força sempre.
Renata

Marcelo Novais disse...

amigaaaaaaaaaa
passando aki rapidãoo
tem coisa nova no meuu
vai lá?
Bjoos!

Hod disse...

Espetacular o texto de Arthur.
O novo Lay do blog está matando apau. Lindo mesmo.
Renata,
Sua presença em minhas atmosfera traz o brilho das Auroras Boreais, grato pelo carinho.

Beijos pra ti.

Valter Montani disse...

Renata,

muito obrigado por sua presença em meu blog durante minhas férias. Estou voltando cheio de novidades. bjs e bom dia!

Everson Russo disse...

Minha menina,,,que bom ver voce de volta,,,post novo,,,emoçoes renovadas,,,força sempre,,,a vida sempre vai nos ensinar, cada segundo é um aprendizado,,,um novo olhar,,uma nova posição,,,mesmo que hajam pessoas que transitem na contra mao do nosso caminho,,,vamos em frente,,somos fortes,,,,beijos de bom dia.

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Que sejamos então bons adjetivos. Beijos

Sonhadora disse...

Minha querida Renata
Um texto para reflectir de como levar a vida.
Adorei.

Beijinhos com carinho
Sonhadora

Bandys disse...

A vida ensina todos os dias.


O que foi alcançado poderá ser perdido novamente. Apenas quando você realizar a verdadeira paz, a paz que você nunca perdeu, esta paz permanecerá contigo, já que ela nunca esteve longe. Ao invés de buscar algo que você não tem, descubra aquilo que você nunca perdeu." Nisagadarta Maharajá


Beijos

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Nunca se perde tudo. A memória retêm fragmentos bons e ruins do vivido. Há quem opte só pelos ruins, e há quem opte pelos bons. São os felizes. A Paz para mim não é utopia. É fácil. No entanto, por que dificultam tanto?
Muito obrigada, Eliane.
Beijos******

José disse...

Com a vida tenho aprendido
que é um pouco atribulada
e hoje estou convencido
que ainda não aprendi nada

Um beijinho grande,
José.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

O meu agradecimento e um beijo enorme a quem passou por aqui*
Renata

wcastanheira disse...

Bela postagem, um texto forte, direto, muitos hão de entender q o q vc pstou é parar meditar e crescer com ele, pra vc bjos, bjos e bjosssss

SuNshyne disse...

Renata!
TEnha uma boa noite e uma otima sexta feira viu!
Você tem vário blogs, como vc da conta?

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Eu não dou, querida. Eu vou além. E não agüento.
Muito obrigada.
Tenha uma ótima sexta-feira também.
Beijos

Genny Xavier disse...

Querida Renata,
Teu post me trouxe os dias da juventude em que lia as crônicas do Artur da Távola e ficava pensando e pensando sobre o que elas me diziam...e sempre tanto me diziam...
Bom saber que as reflexões que algumas leituras nos provocam permanecem sempre atuais...
Beijos,
Genny

Hod disse...

Espero que esteja passando por bons momentos, se positivo o melhor à fazer então é curtir mesmo.

Há Braços.!!

Beijo pra vc.

Andresa disse...

Ola amiga,

tive que me ausentar, mas aos poucos vou retornando ao dia a dia.

Seu texto, magnífico

Essa é a realidade, todos temos problemas, mas não podemos pular ou vingir que não existe. Temos que ser forte e passar por eles. Continunado nossa caminhanda sempre a frente.

Bjs
Andresa

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Meus amigos!
Apaguei um comentário em que ofendi uma pessoa que nem conheço, porque me senti ofendida. Desculpem-me, se possível, todos os daqui que se sentiram ofendidos.
Renata Cordeiro