sexta-feira, 30 de julho de 2010

VIVO***************


VIVO*************** 

Vivo
no mundo da lua...
não uso escudos
pra me proteger,
estou sempre
com o coração aberto
para que ele vivencie
o amor,
mesmo que às vezes
possa sofrer...

Vivo
no mundo da lua...
porque ainda existe em mim
a pureza de uma criança
que acredita em sonhos
e espera que um dia
estes mesmos sonhos
em doce realidade,
possam se converter...


Regina Azenha

13 comentários:

Luh disse...

Reeeeeee que lindo texto... sdds das visitinhas viu... cada dia mais showww o blog! bjo da Luh

Hod disse...

Belo póema de Regina que vc elegeu para postagem.
às vezes penso que mesmo com os dois pés fincados no chão, vivo com a cabe nas nuvens...rsrsrs!!

Bom fim desemana pra ti.

Beijos.

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Ah, que legal.Não é surpresa esse belo poema da Regina, que é minha amiga. Parabéns às duas.

Everson Russo disse...

Ooopa...então chega pra lá que eu vou ficar contigo por aqui,,,eu tambem vivo no mundo da lua,,,é gostoso demais,,,é paz,,,é um lugar silencioso pra gente sonhar....beijos menina linda e um belo final de semana pra ti.

Michelle Crístal disse...

Olha sou eu mesma... Esta semana estou passando por umas dificuldades, mas amo ler-te, deparei-me com uma criança cheia de esperanças onde a lua traga para ela os sonhos... e os concretize... Beijos amor!

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Muito obrigada a vocês e a todos que por aqui passarem* Um beijo enorme*

*Tu és, divina e graciosa,
Estátua majestosa do amor
Por Deus esculturada
E formada com ardor
Da alma da mais linda flor
De mais ativo olor
Que na vida é preferida pelo beija-flor
Se Deus me fora tão clemente
Aqui nesse ambiente de luz
Formada numa tela deslumbrante e bela
Teu coração junto ao meu lanceado
Pregado e crucificado sobre a rósea cruz
Do arfante peito seu
Tu és a forma ideal
Estátua magistral oh alma perenal
Do meu primeiro amor, sublime amor
Tu és de Deus a soberana flor
Tu és de Deus a criação
Que em todo coração sepultas um amor
O riso, a fé, a dor
Em sândalos olentes cheios de sabor
Em vozes tão dolentes como um sonho em flor
És láctea estrela
És mãe da realeza
És tudo enfim que tem de belo
Em todo resplendor da santa natureza
Perdão, se ouso confessar-te
Eu hei de sempre amar-te
Oh flor meu peito não resiste
Oh meu Deus o quanto é triste
A incerteza de um amor
Que mais me faz penar em esperar
Em conduzir-te um dia
Ao pé do altar
Jurar, aos pés do onipotente
Em prece comovente de dor
E receber a unção da tua gratidão
Depois de remir meus desejos
Em nuvens de beijos
Hei de envolver-te até meu padecer
De todo fenecer*
Pixinguinha



Espero que estejam bem!
Bom Dia!
Renata

Jortas disse...

Que desejo de doce me deu.
Está de volta e bem optimista.
Parabéns Renata.
Bjs

Sonhadora disse...

Minha querida
Um lindo texto.

Deixo beijinhos
Sonhadora

ஐ¸.Lady .¸ஐ disse...

Oi moça!
Que linda postagem.
Viver e não ter a vergonha de ser feliz...
Tenha um lindo dia!
Beijo da Lady

Manuela disse...

Olá querida amiga saudades.
Isto está muito bonito, gostei.
Vim desejar um bom fim de semana.
Beijinhos
Manuela

HSLO disse...

Amei o texto Renata...


abraços


Hugo

Felina Mulher disse...

Poema lindissimo Renatinha...obrigada pela visita, estou tentando colocar as visitas em dias.
Fica bem.


Um beijo da FE!

Everson Russo disse...

Minha linda amiga, to com saudades de ti, ta tudo bem contigo? uma linda semnana e beijos de paz.