segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

PLENITUDE




PLENITUDE


Estar parado no tempo
e mover-se no espaço
estrada sem começo nem fim
deslumbrar-se na volta da curva
à vista a cidade ao longe
despontando do passado
envolta em muralhas ancestrais
pedras e pedras
de suor e quimeras
o deslumbramento em aparição?
No alto da colina ouvimos
um som místico medieval
abrindo uma nova dimensão
sensações à flor da pele
passadas por filtro mágico
inebriante gozo
de tudo sentido vivido
em vibrações cósmicas
Estar a caminho e ser
prestes a entrar na cidade dos sonhos
e a perspectiva em si
é essa gota de tempo concentrada
que tudo contém e invade
mais forte que todas as drogas
extrato de fortuito momento
de inspiração e talvez
plenitude
@ Renata Cordeiro


Frases


4 comentários:

wcastanheira disse...

_sensações à flor da pele
passadas por filtro mágico
inebriante gozo...Muito lindo, um mimo seu post, adoro ir lendo e meditando cada linha q a moça transcreve, adoro andar por aqui, pra vc beijinhos e beijinhossssssssssss

Daniel Costa disse...

Querida Renata, maravilhoso poema, a peça pressupõe mesmo inteira plenitude. Tenho reparado que estás muito outra. Te reconheço mais tranquila, menos fantasiosa em vários aspetos. Penso que, como eu, recuperaste. O mais importante é que venho continuando a gostar dos teus brilhantes poemas.
Beijos

Alexandrino Sousa disse...

Querida Renata,

entrar na cidade dos sonhos e gozar a plenitude dos sentidos, será sempre inebriante e de total deslumbramento...

Gostei.

Beijos
Alex

Blue disse...

E na plenitude devemos viver
e procurar entender
o que vem depois da curva
pois se a estrada sem começo nem fim
nos leva sempre a lugares desconhecidos
e esperança é que possamos
sempre poder continuar a sonhar!

Rê querida, os comentários libero-os somente quando tem novo post, ou prestes a ter. Assim evito que eles sejam influenciados...... pelos comentários. Pode parecer bobagem, mas sabemos como funciona isso, né minha sempre amada Renata. Não, não deixe de visitar-me. Aliás estou bem e agora feliz por saber que está de volta, embora sempre fica a curiosidade em saber qual foi o motivo de tão longa ausência e olha que eu sempre deixava um oi!

Beijos