segunda-feira, 24 de março de 2014

O AMOR



O AMOR

O amor desvenda-se devagar
Sem pressa de lá chegar.

O olhar é o desvelar do mistério
Da alma onde se deseja pousar.

O amor são as janelas do amanhã
Tornado em desejo presente.

O amor é tudo o que se faz em romã
O sangue dum céu sempre poente.

Este poema me foi oferecido por Jordão Freitas

http://apoesiaandanarua.blogspot.com.br/


6 comentários:

Blue disse...

Sim, o amor é tudo.
Sem eles, não se chega a lugar algum!

Beijo

Jorge disse...

O ampr também é uma casca de banana onde todos escorregam...
Esta é a minha definição de amor!
Beijinho
:)))

Célia Rangel disse...

Com o aditivo "AMOR" a vida transcorre no caminho da felicidade.
Abraço.

Daniel Costa disse...

Renata, um oferecimento a conter uma beleza de poema, como tudo o que fala de amor.
Beijos

Felisberto Junior disse...

Olá, Boa noite, Renata
muito bom o poema do Jordão..."O amor desvenda-se devagar
Sem pressa de lá chegar."
Parabéns!
Obrigado,
Pelo carinho, bela noite,bela semana,beijos!

Luconi Marcia Maria disse...

Um belo poema Renata, uma bela expressão sobre o amor, beijos Luconi