sábado, 12 de abril de 2014

O JARDIM ENCANTADO

 

O JARDIM ENCANTADO

Eu cismava; o jardim se mostra de repente
E na hora me choca a pupila fervente.
Olho-o com radiante e intensa fruição;
Riso, frescor, candura, idílio de verão!
Tudo me excita, agrada, e tudo me extasia,
Avanço e logo paro: eu acho que a alegria
Estava ali no arbusto e em meu peito dá saltos!
Eu, de arroubo, de amor, de perfume me exalto,
E tão bem mescla o azul ao meu corpo essa trama
Que ao meu surpreso olhar, de súbito parece,
Que não o prado e, sim, o próprio olhar floresce.
E mesmo que eu fechasse as pálpebras, querendo,
Ainda a rosa e o sol eu estaria vendo.


4 comentários:

Jorge disse...

Onde é que fica esse jardim, lindona!
Beijinho e bom fim-de-semana!

MARILENE disse...

A beleza que, em princípio, pode nos chegar pelo olhar e trazer encanto só é possível quando o mesmo olhar se abre para ela.

(Renata, não recebi.
lenadute@hotmail.com)

Bjs.

Felisberto Junior disse...

Olá, Boa noite, Renata
Belíssimo...
penso que, encantado olhar, vê beleza sim, além de onde a dita está...
Obrigado pelo carinho,belo finalde semana, beijos!

Bandys disse...

Um jardim de amor onde os olhares são petalas de flores.
Lindo Renata!

Beijos