quarta-feira, 2 de abril de 2014

SONETO 13





SONETO 13


Duas meninas rútilas e de ouro,
Repletas da candura das crianças,
Nelas depositei o meu tesouro,
O meu amor e as minhas esperanças,

Que rolaram num só desaguadouro.
E hoje, começo, enfim, minhas andanças:
Atiro na água os meus cabelos louros,
E o que me guia são minhas lembranças.

Vou mergulhando, e a chuva, de repente,
Cai; e duas estrelas esplendentes
Ascendem do profundo e verde mar.

Triste sina de eternas navegantes,
Que se dirigem para ilhas distantes,
Buscando sempre um porto onde atracar.

Renata Cordeiro, sobre um verso de Florbela Espanca: "Duas meninas rútilas e de oiro".

7 comentários:

Pérola disse...

Um soneto belo e muito menineiro.

Beijinhos

Samuel Balbinot disse...

Boa tarde Renata.. teus sonetos se vestem da mesma beleza que Florbela.. tb me vem muitas inspirações com alguns versos destes grandes poetas e poetisas..
gostei das rimas com final ouro...
são bem criativas.. bjs e um lindo dia

Daniel Costa disse...

Querida Renata

Embora me pareça bem adequado a belíssima poesia de Florbela Espanca e até muito a dignificar a poetisa da Sintra alentejana, ela mostra muito ter sofrido de amores.
Beijos

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Daniel:
Só a inspiração é da Florbela.
Beijos

Felisberto Junior disse...

Olá, Boa noite, Renata
Belo soneto...o verso da Florbela que te deu o "sprint" eu não conhecia...que o vento sopre inflando as velas trazendo sempre novas paisagens e portos...mesmo sabedor que navios atracados mesmo em portos seguros, também enfrentam maus tempos, portanto que não abandone o barco, continue sempre a navegar...
Obrigado pelo carinho,belos dias,beijos!

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Que estranho, Renata, tentei deixar um comentário em sua nova postagem e o campo não abriu. Florbela lhe proporcionou uma grandiosa inspiração, pois seu soneto está lindo. Bjs. em FLOR BELA
MARILENE

wcastanheira disse...

Linda foto, sugestiva, belo texto, intenso merece receber do tio Castanha beijinhos e beijinhosssssssssssssss