sábado, 23 de agosto de 2014

SONETO 6

                                                                               


                                                                 SONETO 6

Num sonho, num desejo intergaláctico,
Caminhando nas nuvens carregadas,
No astro, nas supernovas prateadas,
Traduzo um pensamento iniciático...

E os meus verdes cristais tão enigmáticos,
Rasos de águas tristonhas, conturbadas,
Doídas, escondidas, laceradas,
Contêm um sentimento poemático...

Desse oceano caem muitas mágoas,
Feridas, investidas, doloridas,
Como a tarde sangrando no poente...

E o sulco das palavras vem das fráguas
Sabidas, iludidas, despedidas,
Como o rastro da estrela só, cadente...

@ Renata Cordeiro

11 comentários:

Daniel Costa disse...

Querida Renata

Como sempre, adorei o soneto número 6. Nele próprio fala em intergaláctico. Pode considerar-se ter foros disso sim.
Beijos

wcastanheira disse...

__Desse oceano caem muitas mágoas...De onde não caem mágoas? Gostei, enigmático, meio filosófico, mas q faz pensar, e pensar é muiiito bom, a guria recebe beijinhos e beijinhosssssssssssss

Edumanes disse...

Lindo li o seu soneto,
escrito na perfeição
que seja satisfeito
o sonho da sua paixão!

Estou com dificuldades,
de comentar quando quero
esta coisas das modernidades
o computador está armado em esperto!

Está lento o mandrião,
já tive vontade do atirar pela janela
ou atirá-lo mesmo ao chão
não sou, mas ficou pior do que uma fera?

Bom fim de semana, um beijo para você amiga Renata.

São disse...

Lindo mesmo este seu soneto, minha amiga!

Abraço grande :)

Rosemildo Sales Furtado disse...

E o sulco das palavras vem das fráguas
Sabidas, iludidas, despedidas,
Como o rastro da estrela só, cadente...

Lindo e profundo Renata. Adorei!

Abraços e uma ótima semana parati e para os teus.

Furtado.

Samuel Balbinot disse...

Muito bom dia querida poetisa.. maravilhoso soneto.. rimas muito ricas.. isso que me encanta.. a diversidade que podemos colocar em versos.. beijos de bom dia

Lapidando Versos

Olhos de mel disse...

É amiga entre lágrimas, se escreve linda e poeticamente, versos extraídos da alma.
Lindo soneto!
Boa semana! Beijos

Bell disse...

oi Re

Precisando dar uma sacudida nas minhas mágoas =/

bjokas =)

Bandys disse...

Oi Renata,

Belo soneto. Gosto das estrelas cadentes porque elas brilham para poucos.

Beijos

Pérola disse...

Um desejo para além do universo, navegando por entre estrelas.

Como é belo o teu soneto!

Beijinhos

Rosemildo Sales Furtado disse...

Oi Renata! Passando para te cumprimentar e desejar uma ótima quarta-feira para ti e para os teus.

Abraços,

Furtado.