quarta-feira, 22 de outubro de 2014

OS EXILADOS




OS EXILADOS

“Dor! Ao peito o ar natal nos tem tanto faltado!
Aqui, é lenta ao nosso corpo a seiva.
Montes, pinhos, mas onde, e aqueles nossos cabos
Cujo espinho, qual franja cobre as beiras?


“Onde o verde pendor dos nossos vales,
Em que o olhar se compraz nas filas tantas,
Formadas, margeando os argentinos mares,
Pelos tetos das nossas casas brancas?


“Onde o nórdico inverno e as tempestades grãs,
Gigantes de que tenho, aqui, saudade:
E o espesso nevoeiro e as festas folgazãs
Em que o prazer afasta a gravidade?


“Aqui, mesma estação e monótono céu;
O tempo muda muito pouco, às vezes.
No cálido ar, com pó, sussurra um vento ao léu.
Ah! Dai-nos nossas neves, nossos verdes!”


François-Xavier Garneau (1809-1866)
Tradução de Renata M. P. Cordeiro



12 comentários:

Edumanes disse...

Exilados estiveram portugueses!
em Cabo Verde no tarrafal
no tempo da ditadura entre paredes
sem que tivessem causado algum mal.

A penas com fome pediam pão,
para comer, sem dinheiro o para o comprar
trabalhavam noite e dia para o patrão
recebiam o que ele lhe queria dar.

Gostei, com a borboleta,
a imagem da menina
com ela na mão esquerda
está sim muito linda!

Desejo para você Renata, um bom dia, um beijo.
Eduardo.

ᄊム尺goん disse...

[ belo poema.
agradeço o teu carinho pelo meu aniversario]

beij0

ReltiH disse...

MUY POÉTICO TEXTO. GRACIAS POR COMPARTIRLO.
UN ABRAZO

Rosemildo Sales Furtado disse...

Oi Renata! Bela a escolha que fizeste, ofertando-nos este lindo poema. Gostei! Principalmente, da estrofe abaixo:

“Onde o verde pendor dos nossos vales,
Em que o olhar se compraz nas filas tantas,
Formadas, margeando os argentinos mares,
Pelos tetos das nossas casas brancas?

Abraços,

Furtado.

Bell disse...

A natureza tb grita por ajuda.

bjokas =)

MARILENE disse...

Muita bela sua escolha. Não conhecia esses versos e vejo que os traduziu, sem prejudicar o sentido. Parabéns!. Bjs.

São disse...

O exílio é sempre amargo , ainda que por vezes seja auto-imposto.

Minha querida, bons sonhos :)

Daniel Costa disse...

Querida Renata, em vista do meu novo livro que, que sairá no próximo mês, tenho andado sumido.
Gostei do belo poema, de tua tradução. É bom tentarmos absorver outras experiencias.
beijos

Bandys disse...

Que bela tradução. Amei a imagem.
Passa uma emoção.

Beijo Renata e um final de semana cheio de luz e paz.

Rosemildo Sales Furtado disse...

Oi Renata! Retornando para te cumprimentar e desejar um ótimo final de semana para ti e para os teus. Ah! Um ótimo domingo com eleição para PRESIDENTE.

Abraços.

Furtado.

Zilani Célia disse...

OI RENATA!
UM POEMA BELÍSSIMO, ÓTIMA ESCOLHA.
ABRÇS
zilanicelia.blpogspot.com.br

Jorge disse...

Renata,
Bom fim-de-semana, beijinhos e obrigado!