terça-feira, 29 de dezembro de 2015

FELIZ 2016!!!



*Há quem diga que todas as noites são de sonhos.

Mas há também quem garanta que nem todas, só as de verão.

No fundo, isso não tem muita importância.

O que interessa mesmo não é a noite em si, são os sonhos*

FELIZ 2016!!!


terça-feira, 22 de dezembro de 2015

PRIMEIRA LIÇÃO DE NATAL




PRIMEIRA LIÇÃO DE NATAL

Este  Natal.
Vou levar o meu neto pela mão
A ver o pinheirinho do quintal,

Nu, sem qualquer decoração.
Nem fio de oiro ou prata ou cobre.
Tem a humildade de ter
Nascido pobre,
Como o Menino que vai nascer.
E por isso é mais belo e vivo e humano
Do que esse outro que estará na sala,
Morto, porém, soberbamente ufano
Do seu trajo de gala.
Este Natal,
Vou levar o meu neto pela mão,
A aprender a moral
Da primeira lição.

Poema de António Manuel Couto Viana.

domingo, 13 de dezembro de 2015

LOUCO, O CORAÇÃO



LOUCO, O CORAÇÃO



Louco, o coração rasgou-me o peito, estilhaçou a vidraça do quarto e, desobediente, voou a procurar-te. 
Parou na tua rua, viu a luz lá dentro e bateu à porta suavemente. 
Como eu antes fazia. 
Quando abriste, se apertou contra ti, tremendo de emoção e assim ficou sem dizer nada... 
Como eu antes fazia. 
Depois beijou-te a boca com a urgência da saudade, sentiu o teu cheiro, tocou-te o corpo, procurando o teu desejo, alimentou-se de ti... 
Como eu antes fazia. 
Saciado, deixou-te só, depois do abraço apertado como cordas, forte como amarras... 
Depois das palavras sussurradas com voz quente...
Como eu antes fazia.
Quando te vi chegar, o meu coração ferido, esse teimoso indomável, não teve coragem de te castigar... 


Recolheu-te com carinho e tratou das tuas feridas. 

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

TRANQUILA



TRANQUILA



Anjo fada incandescente

Nas sendas da floresta

Imperceptivelmente

Sossegada sedosa

Pouso tranquila

Escuto me recosto

À sombra frondosa

Macia delicada

De uma árvore

Suave se diria

Que é de mármore

Estendo as mãos

E os passarinhos

Pousam-me nas palmas

Permanecem no coração

Não me ouso mexer

Nada se compara

A aprender a libertar

A alma aprisionada

Perder pelo tempo

Ao vento a andança

Destrançar a trança

Sem deixar endereço

A paga pelo apreço

Que não tem preço

Voar vogar viajar

Voltar

Recomeçar

domingo, 16 de agosto de 2015

FLORES DO AMOR



FLORES DO AMOR




Sai de cena o frio, entra a primavera.

O sol num riso límpido não tardou

a dar vida e colorido à esfera.

A terra é tatuada de luz e cor.




Na planície azul dos corações

uma nuvem branca se derrama

sobre os rubros botões das emoções,

cingindo de brilhos a densa rama.




Pássaros com asas de serenidade

galgam o mais alto da imensidade

e os desejos de amor vão se elevando.



Nos negros olhos da amplidão, subindo,

raios de luz que a terra vai vestindo,

e a flor do amor no peito fecundando.

Renata Cordeiro



terça-feira, 14 de julho de 2015

sábado, 4 de julho de 2015

quarta-feira, 10 de junho de 2015

quinta-feira, 2 de abril de 2015

terça-feira, 3 de março de 2015

O BOM-DIA


O BOM-DIA


Meu rosto em teu olhar, o teu no meu reflete,
E veros corações descansam nos dois rostos;
Dois hemisférios: par que melhor se complete,
Onde, sem frio norte e sem sequer sóis-postos?
O que morre não foi igualmente mesclado;
Se é nosso amor o mesmo e formamos um par,
Nenhum pode morrer, se nenhum descuidar.
John Donne, excerto de “The Good-Morrow”
(Tradução de Renata Cordeiro)

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

QUE FASCINANTE!!!




QUE FASCINANTE!!!


Ter esperanças no amanhã,
saber que após a noite vem o dia.
Viver intensamente as emoções
pular de alegria...
Apreciar o nascer e o pôr do sol,
amar as pessoas incondicionalmente.
Ter pensamentos positivos,
respeitar os sentimentos dos outros.
Rir sozinho, ser sincero,
encontrar a felicidade nas
pequenas coisas.
e mais fascinante...
é ter a sua amizade!



domingo, 18 de janeiro de 2015

VOU CONTIGO



VOU CONTIGO


Quando estou só, eu sonho com o horizonte, e me faltam as palavras.

Não há luz numa sala sem sol

E não há sol se não estás comigo.

De cada janela, me abres o coração, o coração que tu conquistaste.

Em mim derramaste a luz,

A luz que havia à beira da estrada.



Vou contigo

A lugares que eu nunca vi nem estive

Agora, eu tenho, vou navegar em barcos pelos mares,

Mares que já não existem,

Vou contigo.



Quando estás distante, eu sonho com o horizonte e me faltam as palavras.

E é claro que eu sei que estás comigo.

Tu, minha lua, estás comigo.

Meu sol, tu estás aqui comigo.



Vou contigo

A lugares que eu nunca vi nem estive

Agora, tenho, vou navegar contigo em barcos pelos mares,

Mares que já não existem.



Vou revivê-los contigo

Vou contigo em barcos pelos mares

Mares que já não existem.

Vou revivê-los contigo

Vou contigo.


Tu e eu.