domingo, 13 de dezembro de 2015

LOUCO, O CORAÇÃO



LOUCO, O CORAÇÃO



Louco, o coração rasgou-me o peito, estilhaçou a vidraça do quarto e, desobediente, voou a procurar-te. 
Parou na tua rua, viu a luz lá dentro e bateu à porta suavemente. 
Como eu antes fazia. 
Quando abriste, se apertou contra ti, tremendo de emoção e assim ficou sem dizer nada... 
Como eu antes fazia. 
Depois beijou-te a boca com a urgência da saudade, sentiu o teu cheiro, tocou-te o corpo, procurando o teu desejo, alimentou-se de ti... 
Como eu antes fazia. 
Saciado, deixou-te só, depois do abraço apertado como cordas, forte como amarras... 
Depois das palavras sussurradas com voz quente...
Como eu antes fazia.
Quando te vi chegar, o meu coração ferido, esse teimoso indomável, não teve coragem de te castigar... 


Recolheu-te com carinho e tratou das tuas feridas. 

3 comentários:

ReltiH disse...

UFFFF, TU TEXTO ME DEJÒ AGONIZANDO...!
ABRAZOS

Jaime Portela disse...

O coração é indomável.
Gostei imenso deste teu poema, é excelente.
Renata, tem uma boa semana.
Beijo.

MARILENE disse...

Um coração cheio de amor não obedece a razão. E sempre abre os braços para o reencontro. Muito belo, Renata!

Desejo-lhe um Natal abençoado, ao lado dos que lhe são queridos. E um 2016 de portas abertas para a realização de seus sonhos. Bjs.