domingo, 3 de janeiro de 2016

DESTINO





DESTINO

à ternura pouca
me vou acostumando
enquanto me adio
servente de danos e enganos

vou perdendo morada
na súbita lentidão
de um destino
que me vai sendo escasso

conheço a minha morte
seu lugar esquivo
seu acontecer disperso

agora
que mais
me poderei vencer?

Mia Couto

Mensagens de Amor

3 comentários:

PEQUENOS DELITOS RENOVADOS disse...

O Mia Couto tem lindos poemas....além, é claro, de fazer literatura de primeira.
Outro dia fiz menção a ele num post....
Parabéns pela postagem e que você tenha um 2016 maravilhoso+lindo+rico+cheia de saúde+paz+harmonia....
Mesmo sendo um blog erótico, tomo a liberdade de vir aqui comentar....perdoa-me!!!

Daniel Costa disse...

Renata, Mia Couto, é já hoje uma referência da cultura Lusófona, o poema que postaste mostra o porquê, pelo avaliação do seu pensamento.
Reportando-me, busco das minhas lembranças infantis.
Beijo d amizade

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo poema e video...Espectacular....
Cumprimentos