domingo, 31 de janeiro de 2016

MÚSICA




MÚSICA

Meu amor, tem doces sonhos,
Apesar de a noite ter sido curta,
Nossos corpos falaram, cochicharam,
 E, acariciando-se, tanto se amaram.
E, agora, a lua, nossa aliada,
Varre as dunas da embriaguez.
Calma e confundida contigo,
Não posso deixar-te mais.
Quando o tempo nos faz sonhar com um beijo
Principia o que tem de ser e haver.




***


Há caminhos repletos e cheios de lágrimas,
Que lembram que o mar é a nossa mãe
Que, à noite, nele se refletem as estrelas.
Há caminhos que ficaram impermeáveis.
E debaixo da chuva é preciso um rasgo
Para que uma poça seja um tanto funda.


@ Renata Cordeiro



2 comentários:

Bandys disse...

Ola Renata,

Uma poesia doce e tocante.
O bom dessa vida é que tudo passa e
os momentos ficam eternizados no coração.
Lindo o video do piano.
beijos no ♥

PAULO TAMBURRO. disse...

RENATA,

na vida lágrimas e chuva, cada qual a seu modo,dão origem a esta poça que concordo, deve ser sempre um pouco funda.

Funda o suficiente para nos afogarmos nas coisas do amor, mas só um pouco, para que possamos ser resgatados caso o inesperado faça uma surpresa.

Afinal, os inesperados nas coisas do amor podem ser pontos fora da curva.

Um abração carioca.