quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

O AUTOR PROPÕE DISCORRER SOBRE OS AFETOS DE AMOR



O AUTOR PROPÕE DISCORRER SOBRE OS AFETOS DE AMOR

Eu cantarei o amor tão docemente
o tanto que me furte às suas dores,
que o peito que jamais sentiu amores
comece a confessar que amores sente.

Verá que não há dita permanente
sob todos os céus tão superiores,
e que essas ditas altas ou menores,
imitam sobre o chão sua corrente.

Verá que nem amando alguém alcança
firmeza, embora a tenha no tormento
de louvar um marfim com a beleza.

Porque se todo amor é esperança,
e a esperança é vínculo do vento
quem pode amar seguro com firmeza?

GABRIEL BOCÁNGEL (1603-1658)
Tradução de Renata Cordeiro

Um comentário:

Daniel Costa disse...

Boa Renata, discorrer sobre os afetos do amor.
Beijos