terça-feira, 1 de março de 2016

REFLEXO





REFLEXO


Voltado para o rio

Espelha meu reflexo

Há sol nos meus olhos

Orvalho nos meus cabelos

Sobre um leito transparente

De espumas e rochedos

Numa doce manhã

Para-além dos caminhos

Do perfume inebriante

E o delicado das flores

Selvagens qual doce mel

Uma corrente comum desencadeada

Passa pelo traço da minha imagem

Quantas folhas douradas,

Decorando os bosques

As grandes árvores mostram sua perfeita silhueta

Ao doce reflexo da imagem cujos contornos

Me libertam dos pensamentos

Vivi intensamente



4 comentários:

Jaime Portela disse...

Belíssimo poema.
Gostei imenso das suas palavras poéticas.
Bom fim de semana, querida amiga Renatinha.
Beijo.

São disse...

Lindo poema , muito sentido.

Beijinhos, meu bem !

Felisberto N. Junior disse...

Olá,Bom dia, Renata...que lindo... se ficar simplesmente olhando o doce reflexo da imagem, verás desaparecer tudo o que não foi e não é, e esse percebimento trará uma quietude da mente em que haverá plena felicidade e o viver intensamente...
Obrigado pelo carinho,feliz f.d.s, belos dias,beijos!

Daniel Costa disse...

Querida Renata
Lindo poema, invocando o bucolismo que o acentua.
Beijos