quinta-feira, 7 de abril de 2016

ETERNO




ETERNO

Procuro por ti
Na criança que ri inocente
Nas folhas que se perdem
Levadas pelo vento
Nas estrelas que despontam
Uma a uma na imensidão!
E é em mim,
Que sempre te encontro!
Onde os teus olhos
Nunca disseram adeus
Em cada lembrança...
Ensinando-me o sentido da vida
Tentando explicar-me
Que nada é para sempre
Mas que tudo é eterno.
 @ Renata Cordeiro



5 comentários:

Felisberto N. Junior disse...

Olá, Renata...lirismo impecável e singular...e assim é, nada é para sempre, mas tudo que vem do amor verdadeiro é eterno, pois, nada se esquece com o tempo, se eterniza na memória...
e é como diria o grande Carlos Drummond “Eternamente não é o que dura para sempre, mas sim o que dura um segundo e é capaz de marcar tão fundo, que se faz impossível de esquecer.”
Belos dias, beijos!

Felisberto N. Junior disse...

Olá, Renata,boa tarde, ... li seu comentário "lá":" ...embora tenha ficado triste com o seu desencanto em relação aos comentários em particular e à blogosfera em geral..." e vim :
Apesar de ter algumas pequenas ressalvas em relação à qualidade dos comentários -em particular-e da blogosfera-em geral- eu, individualmente, não estou desencantado e nem desmotivado,muito pelo contrário,estou bem tranquilo...o que aconteceu é que as duas outras administradoras do blog ao navegarem pela web, perceberam /tiveram a impressão que há um desânimo generalizado, muitos fechando o blog, outros reclamando de falta de comentários ,outros etc e tal e por isso, fiz aquela observação final em meu post, mas, eu, AINDA não estou, não!Obrigado pelo carinho, belos dias, beijos!

✿ chica disse...

Renata tu escreves muito bem e a poesia flui! Linda! bjs, chica

Jorge disse...

Mais um belíssimo poema... Admiro a forma brilhante como brincas com as palavras.

Um beijinho, Renata!

(gosto imenso de ti!)

Jaime Portela disse...

Nada é para sempre e tudo é eterno.
Um poema excelente com um final de mestre.
Bom resto de domingo e boa semana, querida amiga Renata.
Beijo.