quinta-feira, 21 de abril de 2016

JOGO DE LUZES




JOGO DE LUZES

Você passou pelo meu pedaço como um cometa


 Despontou no horizonte de repente


e confundindo você com uma estrela cadente


apressei-me a formular meus desejos...


(minha alegria pipocou assim

como um show de fogos de artifício)

Rompendo o breu morno da noite subiu e traçou

uma trajetória oblíqua

para desaparecer do outro lado da tela

– com menos brilho, é certo

e o imenso rabo um tanto chamuscado...

(minha ira estourou como uma tormenta em tecnicolor

com direito a raios, faíscas e trovões)

Fiquei a ver estrelas, sim,

e num céu dos mais nublados

enquanto você foi brilhar

em outros firmamentos...

(depois da tempestade

a bonança)

Guardei por aqui uns raios de luz

caídos na derrapada da curva

se precisar, venha buscar

não faça cerimônia

a que tenho deve dar pro gasto

e só depois me ocorreu

que deslumbrar-se é fruto da distração

e cometas só brilham na escuridão!


7 comentários:

Jorge disse...

Amei este jogo de luzes...e o vídeo está brutal!

Beijinho!

:))

Jaime Portela disse...

Um poema com raios, faíscas e trovões... uma tempestade perfeita...
Gostei imenso, o teu poema é excelente.
Continuação de boa semana, querida amiga Renata.
Beijo.

São disse...

Que post fascinante, minha amiga!

Salvé Pacha Mama!

Beijinhos para si

Daniel Costa disse...

Renata
Vida é um jogo e podemos ver no poema, uma nuance desse mesmo jogo.
Bjs

Rosa Alentejana disse...

Achei deslumbrante o poema, e o vídeo fantástico!
A música é fabulosa (já levei para o meu face)!
Parabéns pelas partilhas lindíssimas Renata!
Beijinhos

PEQUENOS DELITOS RENOVADOS disse...

Lindo.... um poema musical!!!

Carmem Grinheiro disse...

Olá, Renata.
Postagem completa que é poesia.
bj amg